Marcos Magalhães

facebook Instagram Youtube

Maestros

Marcos Magalhães


Marcos Magalhães



Marcos Magalhães

MARCOS MAGALHÃES 

Nascido em 1973 em Lisboa, Marcos Magalhães é licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com Cremilde Rosado Fernandes, e pelo Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris onde obteve, em 1999, o Premier Prix, tanto em Cravo como em Baixo-Contínuo. Em Paris estudou com Christophe Rousset, Kenneth Gilbert, Françoise Marmin e Kenneth Weiss. Estudou também com Ketil Haugsand e, mais recentemente, tem tido aulas de direção de orquestra com Jean-Marc Burfin.

Foi bolseiro do Governo Francês de 1995 a 1998 e da Fundação Calouste Gulbenkian de 1998 a 2000. Marcos Magalhães tem desenvolvido uma intensa atividade concertística, tanto em Portugal como no estrangeiro. Com o Ensemble Barroco do Chiado, tocou na Temporada de Música da Fundação Gulbenkian, Centro Cultural Gulbenkian em Paris, Festa da Música - CCB, nos Festivais de Espinho, Mafra e Encontros com o Barroco do Porto; com outros agrupamentos (Orphée et Caetera) apresentou-se em Paris, Bratislava, Festival Les Baroquiales em Nice e no Festival dos Capuchos. No verão de 2003 tocou com o Ensemble Barroco do Chiado a convite da Fundação Oriente na Índia (Nova Deli, Goa e Bangalore) e Sri Lanka (Colombo). Tocou na Festa da Música, a solo e em duo com Paulo Gaio Lima, e a solo com a Orquestra Gulbenkian no Festival de Alcobaça sob a direção de Joana Carneiro. Participou em várias produções de ópera e integrou a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra da Madeira e a Orquestra Barroca da União Europeia em várias ocasiões.

Fundou, em conjunto com Marta Araújo, Os Músicos do Tejo, grupo dedicado à música antiga. Em 2007 editou o disco Sementes do Fado juntamente com Ana Quintans e Ricardo Rocha. O disco obteve «4 estrelas» no suplemento Ípsilon do jornal Público, além de ter sido escolhido por Manuel Halpern do Jornal de Letras para uma lista dos dez melhores discos editados em 2007 em Portugal. Dirigiu no CCB Os Músicos do Tejo nas óperas La Spinalba de F. A. De Almeida, em 2009, e Lo frate ’nnamorato, de Pergolesi, ambas com enorme sucesso junto do público e da crítica especializada. Dirigiu, em 2010, a parte musical do espetáculo Sonho de uma noite de verão do Teatro Praga, com música da ópera Fairy Queen de Purcell, no Grande Auditório do CCB. Também em 2010, editou o CD As Árias de Luísa Todi («4 estrelas» do Público e várias louvores na Antena 2, Expresso, entre outros), no qual dirige Os Músicos do Tejo tendo Joana Seara como solista. O grupo lançou recentemente, em novembro de 2012, pela Naxos, a primeira edição em CD da ópera La Spinalba, registo considerado histórico pela imprensa especializada e que mereceu destaque internacional, estando no «top» geral das tabelas da editora. Marcos Magalhães, na sequência do lançamento do registo, foi destacado como artista da semana pela Naxos.